BIOGRAFIA

icone_1.png

"Paulo Gazzaneo movimenta-se com perfeita naturalidade neste mundo romântico provando essa sua atração com as Polonaises de Chopin que nos apresentou. Possui toda a técnica de piano e a riqueza de sentimentos que este estilo exige de seus intérpretes". 

Marianne Pándi, 1990 Magyar Nemzet, Budapeste

 

Foi assim que o paulistano Paulo Gazzaneo começou a sua carreira internacional no velho continente, em recital de piano realizado na Liszt Ferenc Zeneművészeti Főiskola na cidade de Budapeste, Hungria.

 

A sua bem sucedida carreira está baseada em duas vertentes de seu trabalho, a interpretação e a pedagogia e, recentemente, tem se destacado na área da composição.

 

Doutor pela Unicamp - Universidade Estadual de Campinas sob a orientação do Dr. Mauricy Matos Martin, em sua formação acadêmica destacam-se as orientações de Amaral Vieira, Osvaldo Lacerda e Almeida Prado no Brasil, Hans Graf em Viena, Áustria e István Lantos, Ferenc Rádos e Marta Gulyás na Academia Superior Franz Liszt de Budapeste, Hungria. Em festivais e cursos de verão recebeu a orientação de Peter Frankl (Inglaterra/Hungria), Bruno Leonardo Gelber (Argentina), Zoltán Kocsis (Hungria), Paul Badura Skoda (Áustria).

 

Desde o seu retorno ao Brasil em 1994, fixou residência em São Paulo e assumiu como principal premissa de seu trabalho a execução e registro fonográfico de obras de compositores brasileiros, preferencialmente ainda ativos buscando valorizar a geração atual de criadores. Neste propósito estão as três estampas lançadas pelo selo Paulus das obras gravadas por Gazzaneo do compositor Amaral Vieira. Como intérprete já dispõe de nove títulos em sua discografia.

 

Como compositor, tem concebido obras para as mais diversas formações, algumas das quais já interpretadas nas Américas, Europa e Ásia. 

 

Como recitalista e solista já se apresentou nos Estados Unidos, América Central, em todos os países da América do Sul e nos principais centros musicais europeus (Áustria, Alemanha, Bélgica, Hungria, Polônia, Espanha, Grécia, Bulgária, Inglaterra, Suíça). Destaque para a temporada de concertos realizada em 2012 nos Estados Unidos interpretando obras para piano solo de Villa-Lobos e Amaral Vieira, e o Concerto no. 5 para piano e orquestra de L. van Beethoven.

 

Como camerista desenvolveu entre 2002 e 2006 um importante trabalho de difusão do repertório contemporâneo brasileiro no Trio Retrato Brasileiro e de 2007 a 2016 confirmou sua versatilidade técnica e estética no São Paulo Arte Trio.

 

Entre as premiações recebidas ao longo de sua carreira destacam-se as últimas láureas agraciadas em 2019: a Ordem de Mérito Cultural Carlos Gomes outorgada pela Sociedade Brasileira de Arte, Cultura e Ensino, e a cadeira número 79 da Academia de Música do Brasil, cujo patrono é o pianista Roberto Szidon.

 

Gazzaneo é Diretor do Festival Música das Esferas - Festival Internacional de Música de Bragança Paulista, pianista titular da Orquestra Filarmônica do Brasil, e membro fundador do São Paulo Arte Trio.